quinta-feira, 25 de outubro de 2007

Na barragem de Fontelonga


O passeio ao complexo na barragem da Fontelonga aconteceu no dia 21 de Outubro. Depois de ter estado na Barragem Valtorno-Morão, completamente vazia, segui pela Alagoa, Penafria e Fontelonga. Não fui ao acaso, fui mesmo com curiosidade em relação às Cores do Outono das lindas fotografias postadas no Blog Ansiães Aventura. Comecei por dar uma volta à albufeira. Tem bastante água, mas o que me chamou mais à atenção foi um bando de aves “estacionado” perto dela. Assim, vistos à distância, pareceu-me um bando de corvos-marinhos-de-faces-brancas (Phalacrocorax carbo). Trata-se de uma ave de grande porte, pertencente à mesma Ordem que as cegonhas, que prefere a orla costeira mas que aparece em habitats muito variados. Muitas destas aves deslocam-se do Norte da Europa para a Península Ibérica nos finais de Agosto. Alimentam-se principalmente de peixe, podem viver mais de 20 anos e medir mais de um metro de asa a asa.

Depois deste encontro ocasional, já considerava a viagem por bem paga, mas, quando me aproximei da piscina, fiquei maravilhado olhando em contraluz as pequenas árvores cobertas de folhas vermelhas. Dependendo do ângulo da luz, as tonalidades vão do vermelho ao amarelo, passando pelo bronze, laranja, púrpura, e, é claro, verde. Não é uma só árvore, mas sim dezenas delas, alinhadas, vestidas de cores diferentes desafiando a criatividade, a visão, a focagem e a desfocagem, a harmonia e o contraste.
A tarde estava calma, solarenga, talvez com um pouco de sol a mais que dava uma tonalidade demasiado descorada ao chão. O meu filho mais novo encontrou distracção nos baloiços, o que me deixou mais à vontade para gozar com tempo, passeando calmante por entre as árvores. Em termos botânicos, penso tratar-se de um acer (Acer palmatum). Chegaram até nós vindos do Japão, China e Coreia. São plantas pouco exigentes em termos de solos, podendo atingir entre 4 a 7 metros de altura e de copa. São usadas como árvores ornamentais, precisamente devido à coloração das suas folhas no Outono. Há muitas outras plantas curiosas nos jardins do parque de merendas, mas, só desviei os olhos dos acer para admirar e provar alguns bonitos frutos vermelhos, verdadeiros medronhos, a cair de maduros. Os medronheiros (Arbutus unedo), estão repletos de flores brancas, mas também em início de maturação dos frutos.

A tarde foi passando, tal como os carros na estrada. Toda a gente vive com pressa. Muitos foram os carros que passaram a grande velocidade! Mas, mesmo num Domingo à tarde, ninguém parou para olhar de perto aquela paisagem magnífica, que ainda está lá, por uns dias, à espera de ser admirada.

3 comentários:

Esmeralda disse...

Olá
...e é caso pr'a escrever:
- que trabalho "mai" lindo!!!!
Parabéns!!! É um verdadeiro encanto!!!
Abraço
Esmeralda

Mario disse...

Parabéns pelas fotos e pelo bom gosto
Solicitávamos o favor de divulgar
quer no seu blogue quer em todos os contactos possíveis
disponha
mario

Gostariamos de convidar todas as pessoas que tenham disponibilidade de se deslocar a Mirandela no próximo sábado dia 10 de Novembro a colaborarem num debate, patrocinado pela Camara Municipal e seu Presidente Dr José Silvano e o Movimento Cívico de defesa da Linha do Tua(MCLT), subordinado ao tema "Futuro e linha do Tua " pelas 15H30 no Auditório da Camara.

obrigado

mario sales de carvalho

linhadotua@gmail.com
www.linhadotua.net

Blue Eyes disse...

Mais uma postagem com "engenho e arte"...Parabéns!É sempre um gosto vir aqui "visitá-lo".

Orlanda Sousa
(Belver)