sexta-feira, 11 de abril de 2008

Ponte Romana, em Marzagão


A Ponte Romana, conhecida também pela Ponte do Galego, tem dois arcos românicos e é toda em lajes graníticas, apresentando uma leve curva à entrada sul. Está situada bem perto da aldeia, a norte desta e sobre o ribeiro, e dava ligação com a aldeia de Arnal e com a estrada para o Tua. A sua construção e aparência demonstram bem a importância que ali teve aquela via de comunicação.

Fonte: site da Câmara Municipal

15 comentários:

Anónimo disse...

pedras postas sem cimento pedras sem data nem tempo pelo homem trabalhado com tanto suor humano e depois de tantos anos fica tudo abandonado de certeza que um dia ainda vou ter a alegria de la voltar a passar percorrando lado a lado as tradicoes do passado quero um dia recordar

Xo_oX disse...

Tem razão, é realmente espantosa a mestria com que estas obras eram feitas. Só assim se compreende que, apesar dos anos, persistam e nos assombrem.
No caso desta ponte, até há um caminho alternativo para os tractores, quando o ribeiro não leva muita água. Infelizmente a maior parte das juntas de freguesia, não estão muito sensibilizadas para a preservação do património, não sei se o caso em Marzagão.
Sobre a igreja, e dado que já me foi sugerido para a visitar, nos últimos tempos está sempre fechada,cada vez que lá passo. Já assisti a algumas missas (e festas) na igreja de Marzagão, tenho aí algumas ramificações familiares.

Anónimo disse...

A aldeia de marzagão foi onde eu nasci e me criei. Tenho saudades do lugar e dos amigos. Um dia eu irei lá. Sou neto do Sr.Luís alfaiate. O importante é continuar tendo as tradiçoes. Gostaria de ter contato com o Daniel,José Augusto,Carlos e o Antonio Macarrão, Cidália Seixas e a Cidália Carvalho, a Laura. Abraços a todos os Marzagonenses.

Anónimo disse...

Antigamente em Marzagão existia aquelas fogueiras enormes, era muito bom.Tinha a missa do galo. Naquela época éramos 40 alunos na escola. Jogavamos futebol , brincavamos muito, todos eramos muito amigos. Na época do verão iamos caçar passarinhos. Eu por exemplo cassei muito pintassilgo com esparrela no quintal do Amândio Ferreira. Ele deixava de colher a semente da alface só para eu poder cassar os pintassilgos.Oh vida boa que não volta mais. Marzagão é uma aldeia muito bonita, onde todos se conhecem. Gostaria de ver fotos ou da escola,da quinta do gricho, enfim dos locais que eu frequentava. Tenho saudades da festa da Lavandeira, Nossa Senhora de assunção, de Arnal,Campelos. Em Arnal na época que fizemos as provas da 4ª classe fiz amizade com algumas moças que agora não me lembro o nome. Tenho saudades da professora Elizete.Moro muito distante mas me lembro de muita coisa.Tenho um irmão que se chama Luís Telmo.Gostaria de ter contato com os meus tios:MÁRIO,JOÃO,VITORINO.

Anónimo disse...

Eu me abriguei muitas vezes da chuvas debaixo da Ponte do Galego, junto com o Sr.José Barbeiro, quando ia apanhar castanhas do meu avô Luís Alfaiate. Seria bom que tudo fosse preservado na bonita aldeia de MARZAGÃO, onde eu nasci e fui criado.É uma pena que a aldeia está abandonada. Tem poucos moradores. Os amigos como o Adolfo,"OS CROIAS"José,Armando,Francisco,Chico Araújo,José Rato,Daniel,Carlos Macarrão,Antonio Macarrão,enfim muitos outros. Abraços para todos os Marzagonenses de José Maria.

Anónimo disse...

Eu me abriguei muitas vezes da chuvas debaixo da Ponte do Galego, junto com o Sr.José Barbeiro, quando ia apanhar castanhas do meu avô Luís Alfaiate. Seria bom que tudo fosse preservado na bonita aldeia de MARZAGÃO, onde eu nasci e fui criado.É uma pena que a aldeia está abandonada. Tem poucos moradores. Os amigos como o Adolfo,"OS CROIAS"José,Armando,Francisco,Chico Araújo,José Rato,Daniel,Carlos Macarrão,Antonio Macarrão,enfim muitos outros. Abraços para todos os Marzagonenses de José Maria.

Anónimo disse...

Passei muitas vezes pela ponte do galego, quando ia apanhar castanhas,sanchas e frades. Naquela época era muito bom. Também eram bonitas as quintas da manjafra,aveleira e gricha. A aldeia de Marzagão foi onde eu nasci e fui criado. Praticamente toda a minha família pertence a essa aldeia.Eu me orgulho muito de pertencer a este local, o qual deve ser preservado. A Igreja também é o símbolo maior de Marzagão, é uma obra de arte, enfim o local é bonito.Eu sou o neto mais velho do Sr. Luís Alfaiate. Eu peço a todos os Marzagonenses que cuidem da nossa aldeia, e que dêem noticias sobre ela. Abraços para todos de JOSÉ MARIA.

Anónimo disse...

ola sou eu tambem visito a nossa ponte romana de vez em quando ja vi que tens muitas saudades da nossa linda aldeia quando penssas vir la talvez nos podemos encontrar la eu estive la este ano2008 espero voltar logo que possivel a respeito dos nossos amigos o carlos esta aqui no canada o antonio garcia tambem o daniel esta em franca os croias tabem.o chicocria no luchamburgo cidalia carvalho em franca cidalia seixas em marzagao ze rato e chico araujo em carrazeda de ansiaes emfim esta e a estoria de alguns de nos este e um blog que nao e muito frequantado por muita gente se quizeres manda.me o teu n.de telefone para me poder comunicar contigo 1 abraco a.s

Anónimo disse...

Gostaria muito se fosse possível ver fotos da nossa aldeia MARZAGÃO e das pessoas que lá vivem.Este é um blog muito importante principalmente para as pessoas que moram muito longe da nossa querida aldeia. Aos poucos nós vamos tendo noticias de lá. Abraços para todos os Marzagonenses.José Maria.

Anónimo disse...

Ola parece que toda a gente se esqueceu de visitar este blog o que equivale esquecer a nossa terra. Sera isso? Pois nao o façam porque aquilo ja esta tao so e com tao pouca gente,que se nos vamos desistir de falarmos da nossa terra a tendencia vai ser aquilo que todos nos sabemos. força amigos e deem um pouco do vosso tempo por esta causa . Gratos

Anónimo disse...

Falar da aldeia de Marzagão para mim é um privilégio muito grande. Foi lá que eu nasci e fui criado, tenho parentes, tenho o meu irmão Luís Telmo que é o Presidente da Junta. Gostaria que os nossos amigos de infância frequentassem este blog é muito importante para poder termos notícias de Marzagão. Praticamente todos os meus amigos de infância foram tentar a vida em outros lugares, mas fico contente ao saber que a cultura continua sendo preservada.Através deste blog já encontrei os meus tios Vitorino e Nelson, o meu amigo Adolfo. O meu nome é José Maria neto mais velho do Sr. Luís Alfaiate. Gostaria de manter contato com os amigos de infância(Laura,Valter,Daniel,Cidália Seixas,Cidália Carvalho,José Augusto,Armando,Carlos e João Magalhães,Armindo Carvalho,Rui)..Mandem Notícias. Um abraço para todos os Marzagonenses. José Maria.

José Maria disse...

A aldeia de Marzagão continua sendo maravilhosa, apesar de ter poucos moradores, mas o importante é manter as tradições, preservar o que lá existe. O presidente da junta tem que fazer alguma coisa e lutar para que a nossa aldeia permaneça admirável. É uma pena que tenha tão poucas pessoas. Na minha época éramos 40 alunos na escola, agora são apenas 6. O meu nome é José Maria, sou o neto mais velho do Sr. Luís alfaiate. Eu peço para que continuem conservando o patrimônio da nossa aldeia. Abraços para todos os Marzagonenses.

vitorino meireles disse...

Ola a toda a gente de Marzagão.Por coincidencia este ano tive o privilegio de estar nas duas festas que a nossa aldeia tem ou seja a de maio e agora a do S Joao . E como é do conhecimento de todos a tradiçao vai-se perdendo e morrendo mas aqui nada a fazer todos sabemos os motivos. È a crise e a desertificaçao, mas para quem ja nao via isto á muitos anos e sabe como era dantes deixa-nos muito tristes. No S. Joao incentivos nao faltaram pois ouve sardinha assada e caldo verde o qual desde ja dou os parabens a quem de direito estava uma maravilha. Dizia eu que mesmo assim teve muito pouca gente a nao ser as nossas gentes e um ou outro penetra. Que fazermos mais para que a situaçao mude? Sem mais Vitorino

Anónimo disse...

A Ponte romana, ou como todos nós que nascemos e fomos criados conhecemos como PONTE DO GALEGO, é uma pena estar tão abandonada e cheia de grama. Onde estão as pessoas que administram a nossa aldeia? Abraços......

Anónimo disse...

A Ponte Romana de Marzagão, vulgarmente conhecida por Ponte do Galego, é um monumento notável de dois arcos de volta perfeita.Esta ponte é para mim muito familiar, pois um dos terrenos que confronta com uma das paredes da ponte pertenceu ao meu avô, Manuel Arlindo Araújo,e que actualmente é pertença da minha mãe. Ouvi contar ao meu avô, várias vezes, que além de ser um grande contador de histórias era um enamorado das tradições da nossa aldeia, o porquê da atribuição do título do " Galego" a este monumento. Aquando da Guerra Cívil de Espanha, (1936-1939), um natural da região da Galiza procurou refugio no nosso País para fugir ao serviço militar que teria que prestar no confronto bélico. Por cá permaneceu.Comprou o terreno " Chão do Galego", ainda hoje pertença da minha família, e assim deu nova denominação a esta pitoresca ponte medieval.
Esta velhinha e esquecida ponte tinha, não da minha lembrança, proteção lateral superior também em blocos de granito.Porém, aquando do grande restauro da nossa igreja, orientado pelo meu tio materno, António Luís Meireles,parte desse granito foi reutilizado no Templo. Muitas dessa pedras já estavam caídas nos terrenos adjacentes.
A Direcção Regional de Cultura do Norte deveria promover esforços para recuperar e valorizar este monumento. Aguardemos que esse dia chegue !