terça-feira, 15 de abril de 2008

Pouca-terra, pouca-terra

Pouca terra, pouca terra, ... já se vê ao longe o Castelo dos Pereiros, vamos entrar nos territórios de Ansiães. Nesta terra onde as maias salpicam de amarelo o verde da esperança, paira sobre a linha uma ameaça. Os "cavaleiros nobres" reúnem-se em Ansiães para decidir o futuro de tão poética e selvagem via. Quanto vale? Uma estrada? Um estádio? Um concerto do Tony Carreira? Não se sacrifica um ente querido em troca de progresso. Quem pensa o contrário, pode muito bem ser o próximo sacrificado.
Dia 16 a linha morre... em Carrazeda!
Entretanto, vamos sonhando... pouca-terra, p o u c a-t e r r a...

2 comentários:

Esmeralda disse...

Olá
...que linda foto!!! Parabéns!!
Abraço
Esmeralda

piloto disse...

Abaixo os alarves que ñ respeitam nem preservam o patrimonio historico.