domingo, 10 de agosto de 2008

Paradela no horizonte


Paradela de Ansiães, pertence à freguesia de Pombal de Ansiães, distando dela quatro quilómetros. Situada junto da única estrada de acesso a Carrazeda (N314-7), mesmo assim, sempre me pareceu muito distante. Daí que o meu conhecimento de Paradela seja muito escasso. Hoje a realidade alterou-se e os acessos são mais rápidos, tendo mais de que uma opção para chegar a Carrazeda.
Tal como todas as aldeias do concelho, Paradela é uma aldeia envelhecida. A época de maior pujança deve ter sido antes das vagas e emigração, que levou muitos residentes a procuraram melhor vida, no estrangeiro.

O aglomerado populacional situa-se praticamente todo numa rua, a Rua Principal. As casas são feitas de granito, com varandas em madeira e escadas em granito, que lhes dão acesso. Gosto muito de fotografar este tipo de ambientes, também existente em Codeçais ou Pereiros. Infelizmente muitas casas estão desabitadas e mostram já marcas de abandono. Os que continuam na aldeia, optaram por fazer casas novas, fora deste núcleo, com mais espaço circundante e uma melhor vista. Surge assim a Rua do Reiro, da Capela e da Escola, com casas bonitas, rodeadas de quintais cheios de árvores de fruto, que se desenvolvem muito bem.

A aldeia encontra-se protegida, encostada à serra da Lama Grande, com a Rua Principal voltada a sol, que a inunda de luz no seu máximo de força. A melhor visão da aldeia tem-se da estrada, logo que se encontram as primeiras casas. O conjunto compacto de tem um aspecto bem curioso e fotogénico. Ao longe vêem-se as casas de Pombal, num cenário de montanhas, já do lado de lá do Tua. O centro da aldeia é à entrada da Rua Principal. Aqui se juntam os idosos a apanhar sol e a conversarem, e aqui realizam as festas, que alegram a pacatez do lugar, aqui se situa a capela e o cemitério.

Aliada à simpatia das gentes, há o vinho, de qualidade superior, nascido das videiras cultivadas em socalcos, onde o granito das fragas o permite. Também abundam oliveiras, amendoeiras e muitas árvores de fruto, nos melhores terrenos.
À saída da aldeia, para Pombal, há um cruzeiro com o ano de 1793, na base, mas o nicho onde se encontra N. Senhora da Saúde tem gravado o ano de 1993.
Também digna de destaque é a Fraga da Aborraceira, que julgo encontrar-se nos terrenos de Paradela. Trata-se de um exemplo de arte rupestre, onde se encontram insculpidos uma série de círculos e semi-círculos e as tradicionais ferraduras em associação alguns cruciformes, mas que ainda não tive o prazer de visitar.

A paisagem onde a Ribeira de Paradela se precipita para o Rio Tua, é de uma grandeza colossal, assustando pela sua agressividade, povoada de fragas e zimbros.
Paradela merece uma visita cuidada, oferecendo bonitos cenários para fotografias, dentro da sua rusticidade e antiguidade.

Para conhecer melhor Paradela: Álbum fotográfico de Paradela de Ansiães

6 comentários:

Maria da Luz Goncalves Lopes disse...

Muito obrigado pelas fotografias de "Paradela no horizonte." Adorei ver a minha terra natal mesmo que seja uma aldeia envelhecida. Para mim sera sempre a mais linda do mundo.

Eu vivo no Canada mas tenho muito boas lembrancas de Paradela e as suas fotografias ajudam-me a guardar as boas memorias de Paradela.

Xo_oX disse...

Viva Maria da luz
É sempre discutível se a beleza está nos objectos e coisas, ou se nos nossos olhos. Eu acredito que está nos nossos olhos. Muitas vezes fotografo coisas envelhecidas e as pessoas gostam delas, porque as vêem através de outros olhos, o olhar que eu lhe mostro. Mas, por vezes, passam aí todos os dias e nunca acharam beleza nenhuma. E depois, há o olhar de quem está longe, carregado de emoções. Chamo a isso "ver com o coração".
Cumprimentos para toda a gente de Paradela (onde até já tenho uma sobrinha!), residente e ausente.

Fatima Gouveia disse...

Olá!
Mais umas bonitas fotos de Paradela...aqui também eu passei férias em criança com primos que viviam aí, e por isso fez-me voltar á minha infância.
Aproveito para agradecer as que postou do nosso Belver, e dizer-lhe que gostei de o ter conhecido bem como á sua família.
Já visitei o blog da sua esposa, mas vou voltar lá para deixar comentário.
Saudações
Mifá

Anónimo disse...

Olà Maria Da Luz.
Eu sou o teu primo Mario Lopes Cruz
Estive a ver as fotografias de Paradela e tambem gostei de ver.
Eu vivo em frança muito obrigado à pessoa que tirou as fotografias e muitos cumprimentos para ti e toda a familia.
Gostei muito do teu comentàrio

Anónimo disse...

Olá Maria da Luz !

Viva.
Só hoje descobri este site.
Gostei muito de te "ver" na Internet.
Também gostava de trocar e-mails contigo.
É possível ?
Podes contactar-me através de « marinavi.eira@sapo.pt ».

Tua Prima
Marina Alice Lopes Cruz Vieira

Carla Marisa disse...

Olá a todos... Filhos da aldeia Paradela de Ansiães. Podem visitar: lita-vhotmail.blogspot.com e recordar Paradela de sempre e para sempre!!! Carla